SANGUE: Teste NAT agora é obrigatório nas redes pública e privada de saúde Destaque

Avalie esta notícia
(0 votos)

ilustração googleilustração googleA partir de 2014, todo sangue coletado no Brasil vai passar obrigatoriamente por um teste que garante a segurança de quem precisa se submeter a uma transfusão. O exame, conhecido como teste NAT, detecta se o sangue está contaminado pelos vírus HIV e da hepatite C.

Todos os bancos de sangue públicos do país já oferecem o teste NAT. Mas agora chegou a vez dos bancos particulares se adequarem a nova norma.

A jornalista, Jéssica Martins, por exemplo, precisou fazer uma transfusão de sangue logo após o parto do primeiro filho. Ela apoia a obrigatoriedade do teste NAT. "Eu acho muito importante essa mudança, principalmente porque eu já fiz transfusão de sangue, e foi na rede particular. E porque, diversos procedimentos médicos acabam precisando da transfusão de sangue, independente do lugar. Que o paciente tenha certeza que aquele sangue vai trazer benefícios vai ajudar naquele momento. E que lá na frente não traga nenhum problema de saúde, como a aids e a hepatite c. Eu vejo a mudança como muito positiva. Garantindo a saúde para todos. Independente de ser na rede pública ou privada".

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, explica os benefícios do teste NAT para a população. "Ele reduz a janela imunológica, ou seja, aquele período que existe entre uma pessoa se infectar pelo vírus do HIV, pelo vírus da hepatite C. E isso ser detectado no exame tipo Elisa, que o exame normalmente utilizado nos bancos de sangue. Isso reduz de 35 para 12 dias no caso da hepatite C e reduz de 20 para 10 dias no caso do HIV, essa janela imunológica".

Além de realizar o teste NAT, o Sistema Único de Saúde oferece um teste para detectar os vírus das hepatites B e C, HIV, doença de Chagas, Sífilis e Malária. Fonte Rádio Agência colaboração, Alexandre Penido